Cidades

Audiência discute segurança pública na cidade de Monsenhor Tabosa

Página Aberta – Notícia com Propósito
 A Audiência foi promovida pela Câmara Municipal, por iniciativa da vereadora Antônia Claudio (Dedé).


Lideranças políticas, civis, e eclesiásticas, do município de Monsenhor Tabosa (CE), reuniram-se na manhã desta terça-feira (29), para debater em Audiência, o tema da segurança pública no município. A Audiência foi promovida pela Câmara Municipal, em atendimento a um requerimento da vereadora Antônia Claudio (Dedé). Cerca de 100 pessoas estiveram presentes.

A intenção do debate é buscar soluções para conter o avanço da criminalidade no município. O encontro que aconteceu no Salão da Maçonaria, contou com a representatividade do Poder Legislativo, Poder Executivo, Ministério Público, OAB, Polícia Militar, Polícia Civil, lideranças religiosas, órgãos de proteção social, educação, movimentos sociais, dentre outros.

 A Audiência foi coordenada pela vereadora Dedé (autora do requerimento). Segundo ela, “a criminalidade que antes preocupava os grandes centros, hoje, faz vítimas em Monsenhor Tabosa. Furtos e roubos têm sido constantes, em residências e comércios da sede e zona rural, e até homicídios, são ocorrências que assustam e tiram o sossego dos moradores. Por isso tomamos a iniciativa em promover este encontro para juntos buscarmos solução para este problema que não é apenas das autoridades, mas de todos nós”, afirmou a vereadora Dedé.

Para o promotor de Justiça, Dr. Luiz Cogan, discutir segurança pública é uma tarefa árdua que precisa ser feita no dia-dia, sempre em busca de melhorias. “Para que a segurança possa apresentar melhores resultados, é necessário cooperação entre os órgãos de segurança e os poderes constituídos”, ressalta.

Representando o prefeito Jeová Madeiro, o Chefe de Gabinete da Prefeitura, Amaury Melo, destacou que a colaboração da população na melhoria da segurança é muito importante. “Não se pode apenas culpar as autoridades e transferir responsabilidades. A família como principal célula da sociedade deve ensinar valores morais aos filhos, isso certamente refletirá numa sociedade menos violenta”, disse.

Plano de segurança

Para a vereadora Solange Baltazar, o tema em discussão é de grande relevância. “De acordo com o artigo 144 da Constituição Federal, a segurança é dever do Estado e direito e responsabilidade de todos. Somos corresponsáveis, por isso estamos aqui, para construirmos ações que posam contribuir para redução desses índices de violência”.

A vereadora propôs que “a partir do levantamento de dados sobre violência, possa se construir um plano Municipal de segurança. Diante dessa realidade, todos nós podemos colaborar. O Conselho da Comunidade, que também deve ser criado, será o canal entre o poder e a sociedade”, disse.

 

Para o Coronel Hermilson, comandante do 7ª Batalhão de Polícia Militar, a maior dificuldade com relação à segurança é a falta de efetivo, atualmente são 10 policiais atuando no município numa escala de dois por quatro, ou seja: cada equipe trabalha dois dias na cidade e folga quatro dias, sendo os 10 homens divididos em 3 escalas. Coronel disse que o governador chamou esse ano, duas turmas de 1.400 policiais cada, e pretende chamar mais 1.400 ainda este ano. Destes, 80 devem ser deslocados para a região de Crateús, o que resultará num ganho positivo para a região, porque serão distribuídos nas cidades que compõem 7BPM.

Propostas

O plenário apresentou propostas para melhoria da segurança, dentre os encaminhamentos estão: Criação do Conselho da Comunidade; Aumento de profissionais para atuar na Unidade de Polícia Civil, incluindo um Delegado de carreira; Criação de políticas públicas voltadas para crianças e juventude; Mais serviços especializados de investigação; Fiscalização no trânsito com mais autonomia de trabalho para os Agentes de Transito e Guarda Civil (GCM); Padronização na construção dos redutores de velocidade (quebra molas); Maior rigor no combate ao comércio de drogas, aumento no efetivo da Polícia Militar, mais viaturas.

Abaixo assinado

Um abaixo assinado, de iniciativa da Vereadora Dedé, solicitando melhorias na segurança do município será anexada ao relatório da Audiência Pública. Ao final dos trabalhos, restou consignado o compromisso de: atuação das entidades públicas e privadas, no sentido de encaminhar as demandas de violência; acompanhamento e registro dos casos de violência no Município de Monsenhor Tabosa, seguida da comunicação aos órgãos competentes; Formulação de requerimento a ser encaminhado ao Exmo. Secretário de Segurança Pública do Ceará.

Diante de todas as reivindicações já citadas, a vereadora Dedé do Sindicato, solicitou que na primeira quinzena do mês de janeiro de 2018, seja realizado um fórum para avaliar os resultados alcançados e planejar as ações para o ano em curso.

 Redação: Página Aberta

Deixe seu Comentário

Sua opinião é muito importante para nós, participe.

Relacionadas

Confira outras notícias da categoria.