Cidades

CREAS realiza campanha de prevenção à violência sexual contra crianças e adolescentes

Página Aberta – Informação e Realidade

 Tema abordado através do teatro de bonecos.



A Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social de Monsenhor Tabosa, por meio do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), e em parceria com o Conselho Tutelar, NASF, CRAS, etc, realiza de 20 a 23 de maio, uma série de atividades em alusão ao Dia 18 de Maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.


O objetivo é conscientizar a sociedade sobre a gravidade da violência sexual, e a importância de participar da luta em defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes, bem como sensibilizar essas crianças e adolescentes e ensinar-lhes as formas de se proteger e como denunciar os agressores.


Os profissionais têm percorrido as escolas municipais e indígenas levando palestras informativas, dinâmicas e informações voltadas às crianças e adolescentes. As atividades foram realizadas com alunos do ensino fundamental 1 e 2 de escolas da rede municipal e indígenas.


Denúncias


No Brasil, em 2017, foram registradas 22.324 mil denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. Em 2018 a totalidade dos números ainda não está disponível, mas de janeiro a junho foram registrados 9.297 casos de violência sexual no Disque Denuncia Nacional.


No estado do Ceará, a violência sexual tem crescido – em 2011 o estado ocupava a 9ª posição no ranking nacional e em 2017 passou a ocupar o 6º lugar em registro de denúncias de violência sexual.


Segundo a psicóloga do CREAS, Tatiara Nascimento, no município de Monsenhor Tabosa, desde 2011 foram registrados 72 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. “Se considerarmos a estatística de que para cada caso que chega ao serviço, há 20 subnotificados, podemos inferir que em 8 anos tivemos 1440 crianças e adolescentes vítimas de violência sexual sem atendimento necessário para superação daquela situação traumática, acarretando em sequelas para toda a vida”, destaca ela.


O abuso sexual infanto-juvenil é crime e prevê pena de 8 a 15 anos de prisão. Denúncias podem ser feitas através do disk 100 (Disque Direitos Humanos), no Conselho Tutelar ou no CREAS.

Deixe seu Comentário

Sua opinião é muito importante para nós, participe.

Relacionadas

Confira outras notícias da categoria.