Cidades

Movimentos sociais da Guatemala e Colômbia visitam Assentamento em Monsenhor Tabosa (CE)

Página Aberta – Notícia com Propósito
 Grupos visita famílias no Assentamento Santana. Foto: WhatsApp


Movimentos sociais, Coordenação Nacional Agrário da Colômbia e Coordenação Nacional de Mulheres de Conflitos da Guatemala e Comitê de Unidade Campesina da Colômbia, estão no Brasil realizando um intercambio com o movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

O intercambio iniciou no mês de Abril, as delegações visitaram assentamentos e acampamentos organizados pelo MST no Pará, Mato Grosso e São Paulo. Em Agosto o grupo chegou ao Ceará, onde irão visitar diversas experiências desenvolvidas pelo movimento no Estado.

Dos doze integrantes da delegação, quatro estão desde o dia 19 de agosto no Assentamento Santana, em Monsenhor Tabosa (CE), conhecendo a forma de organização da comunidade. Eles vão permanecer ate o próximo dia 27, em seguida irão para outras regiões do Estado onde ficarão até Dezembro.

A atividade tem como objetivo conhecer a experiência de organização do MST, a produção agroecologia e a educação do Campo, afirmou Catarina Sol Carrilo – membra da Coordenação Nacional de Mulheres e Conflitos da Guatemala.

O intercambio é fruto de uma parceria do MST, La Via Campesina, movimentos camponeses e organizações populares da Noruega. O MST realiza intercambio em diversos Países da América Latina, Caribe e Europa, com o intuito de conhecer as experiências de organizações de movimentos sociais e lutas em outros países, e assim fortalecer a nossa luta aqui no Brasil, afirmou Lúcia Nascimento, pertencente a Coordenação do MST.

A Coordenação Nacional Agrária e 0 Comitê de Unidade Campesina da Colômbia são organizações populares onde trabalhadores, produtores de Café, de cana de açúcar, de arroz, povos indígenas, negros e mestiços lutam para garantir direitos e melhorias em suas comunidades.  Já a Coordenação Nacional de Mulheres de Conflitos  da Guatemala é um movimento social de mulheres que se organizaram para resistir aos mais de 40 anos de guerra que vivia a Guatemala. Hoje o movimento luta para garantir direitos dos povos indígenas que representam 70% da população do País.

O Assentamento Santana, em Monsenhor Tabosa (CE), tem 31 anos de luta e resistência na construção da Reforma Agrária Popular. Também é referência em organização comunitária.

Reportagem: Gene Santos
Edição: Dorismar Rodrigues

Deixe seu Comentário

Sua opinião é muito importante para nós, participe.

Relacionadas

Confira outras notícias da categoria.