Cidades

Nova Russas registra uma morte por H1N1

Página Aberta – Informação e Realidade


O município de Nova Russas, Sertão de Crateús, no Ceará, registrou uma morte por H1N1, o caso foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Coordenadora de Vigilância Sanitária em Saúde, Gabriela Farias. A comprovação do caso se deu através de exames laboratoriais.


Ainda de acordo com Gabriela, outra pessoa também morreu no município de Nova Russas, por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); o caso aguarda resultado laboratorial. O sexo e idade das vítimas não foi divulgado.


Gabriela tranquiliza a população, segundo ela não há motivos para pânico; Ao mesmo tempo alerta para a importância da vacinação para as pessoas que estão inseridas nos grupos prioritários.


“Os dois pacientes estavam dentro do grupo prioritário e não tinham procurado uma unidade de saúde para se vacinar”, ressaltou.


Este ano, o Ceará já registrou sete casos de influenza H1N1, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), nesta segunda-feira (10).


A campanha exclusiva para os grupos prioritários continua em todos os postos de saúde até o dia 14 de junho. A vacinação tem o objetivo de reduzir as formas mais graves e complicações geradas pela influenza. Além de reduzir a mortalidade gerada pela doença.


Dados epidemiológicos


Em 2019, o Ceará notificou 550 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) até 6 de junho. 44 foram causados pelos vírus da influenza A H1N1. 49 pelo vírus da influenza A H3/sazonal, 73 por outros vírus respiratórios(VSR), 213 foram SRAG não especificada e 126 estão em averiguação da Sesa. (Confira a pesquisa no site) .


Segundo a secretária, foram registrados 53 óbitos de SRAG no SIVEP-Gripe, sendo sete identificados como influenza A H1N1, seis por influenza A H3/sazonal, seis por influenza B, dois VSR, 21 não tiveram o agente etiológico (agente que causa a doença) especificado e 11 estão em investigação.


Em 2018, houve maior ocorrência de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave pelo vírus da influenza, principalmente no segundo trimestre. Nesse mesmo período, houve 144 óbitos por SRAG, sendo 73 por influenza, um por outros agentes etiológicos e 70 não tiveram o agente etiológico especificado.

Deixe seu Comentário

Sua opinião é muito importante para nós, participe.

Relacionadas

Confira outras notícias da categoria.