Polícia

PCC tenta resgatar ‘Alemão’ e outros líderes presos no Ceará; Polícia reage e evita fuga

  • 09 ago 2017
  • ‘Alemão’ foi baleado durante a fuga e teve que ser internado no IJF. Foto: Divulgação


A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), em mais uma ação ousada no Ceará, com cerca de 15 homens fortemente armados, promoveu, na madrugada de ontem, uma intensa troca de tiros com policiais militares e agentes penitenciários para tentar resgatar três presos do alto escalão da organização: Antônio Jussivan Alves dos Santos (o Alemão), Antônio Carlito Avelino (o Boi) e Paulo Laércio Pereira de Freitas (o Paulo Cabecinha). O trio estava recolhido na Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

A ação aconteceu por volta de 1h da madrugada, segundo o comando da Polícia a intensa troca de tiros durou cerca de 20 a 30 minutos. Os PMs e os agentes plantonistas reagiram, balearam os três detentos e afugentaram o bando que tentou realizar o resgate. ‘Alemão’ e ‘Boi’ precisaram ser levados, sob custódia policial, para o Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza. Já ‘Paulo Cabecinha’ foi atendido dentro do presídio. Um policial também foi alvejado, de raspão, e atendido na unidade prisional.

O bando, que utilizava inclusive armas de grosso calibre, chegou à muralha da penitenciária após se embrenhar em um matagal. Ao se aproximarem da unidade, os criminosos arremessaram uma corda com uma escada.

Neste momento, segundo a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), os três presos já se encontravam perto da muralha, construindo uma ‘teresa’ (corda feita com lençóis), para unirem a corda arremessada pelos comparsas e fugirem. Para chegarem até lá, os presos serraram as grades de ventilação da cela onde se encontravam e cortaram a grade que separa as vivências da muralha.

A custódia dos detentos feridos, no IJF, foi reforçada pela Polícia, durante o dia de ontem. Por volta de 15h, ‘Boi’ deixou a unidade de saúde para voltar ao presídio. Já ‘Alemão’ precisou permanecer internado e, segundo a sua advogada, Erbênia Rodrigues, está consciente e não corre risco de morte.

Antônio Jussivan se encontra preso pelo furto de R$ 164,7 milhões ao Banco Central, em 2005, sendo apontado como o principal líder da quadrilha, e é suspeito de participar de assaltos a carros-fortes. Antônio Carlito é considerado um especialista em ataques a instituições financeiras e foi condenado a mais de 50 anos de prisão. Já Paulo Laércio é suspeito de homicídios, receptação e assaltos a carros-fortes. Os dois últimos têm histórico de fugas de unidades do Sistema Penitenciário cearense.

A Polícia prendeu um suspeito de participar da quadrilha que realizou a ação criminosa na penitenciária. Fabiano de Souza da Silva, 39, foi capturado no entorno do presídio, na posse de uma motocicleta furtada, de placas NQR-2728. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ele seria o ‘olheiro’ do bando.

Fonte: Diário do Nordeste

Compartilhar

Deixe um comentário